Vicente de Paiva – Uma grande e completa libertação do alcoolismo.

Meu nome é Vicente de Paiva, sou natural de Tiradentes, MG, e quero compartilhar com todos o meu testemunho, já que houve um tempo na minha vida em que eu me encontrava escravizado pela bebida, mas Jesus mudou a minha história.
Poucos anos depois do meu casamento, cerca de três anos, comecei a freqüentar um terreiro de macumba, não para fazer mal a ninguém, mas para me “proteger” dos males dessa vida, lá eu tinha o nome de Cambono, cuja função era servir aos espíritos, uma espécie de diácono das trevas. Daí em diante, comecei a ficar conversando com colegas nos bares e daí até a bebida, foi um “pulo”.
Não imaginava que isso pudesse acontecer comigo, mas aconteceu, pois eu me viciei nas bebidas alcoólicas e em cigarros. Cada final de semana que passava, eu aumentava as quantidades de bebidas que ingeria e fui me afundando no vício.
Os anos se passaram e tanto eu como minha esposa e filhos sofriam cada vez mais por causa da minha embriaguez. O que no início era apenas bebidas nos fins de semana, foi aumentando cada vez mais e por fim, quando percebi, já bebia todos os dias.
Eu trabalhava o dia todo e assim que saia do trabalho, eu parava num trailer próximo a estação do trem e já começava a entrar na cachaça, ai ficava até altas horas me embriagando. Quando chegava em casa, na maioria das vezes, quebrava tudo; portas, vidros, janelas e ainda jogava os mantimentos fora. Quantas dores e sofrimentos a bebida e a macumba trouxeram tanto para mim, quanto para os meus familiares.
Os anos foram passando e eu continuava preso a essa vida de destruição; é o que a Bíblia ensina, que o Diabo veio para roubar, matar e destruir. Eu já tinha duas filhas e um filho, quando quase perdi minha família, tamanha a devastação que o alcoolismo estava trazendo. Até que num final de ano, mas especificamente no ano de 1994, eu havia bebido para comemorar a virada do ano e sei hoje, que foi o Senhor que me fez passar em frente a Igreja Assembléia de Deus do Pastor José Nascimento.
E foi nesse momento, o mais maravilhoso da minha vida, que o Espírito Santo me atraiu lá para dentro. Não pensei em nada e não deixei a vergonha me segurar lá fora. Do jeito que eu estava, assim entrei e aquele carinhoso homem de Deus, juntamente com os irmãos Paulo, Waldir, Celinha e tantos outros, me receberam muito bem. O culto estava uma benção e verdadeiramente fui visitado e liberto pelo Espírito Santo.
Nessa mesma noite de reveillon, minha esposa estava em casa, naquela noite chuvosa, chorando e muito angustiada. Ela estava numa janela, olhando para o céu escuro, caindo no seu rosto aquelas gotas de chuva e orava assim: “Se existe mesmo esse Deus que os crentes falam, então que o Senhor mude a vida do meu esposo, pois eu não agüento mais!”. Sem que ela soubesse, sua oração teve uma resposta IMEDIATA do DEUS TODO PODEROSO! pois naquele exato momento eu estava aceitando JESUS como meu único e suficiente Senhor e Salvador!
Desse dia em diante, comecei literalmente um ano novo, como uma nova criatura em Cristo, lavado e remido no Sangue do Cordeiro. No dia seguinte, disse para minha amada esposa que tinha aceitado Jesus e que a partir daquele momento, jamais abandonaria seus caminhos. Ela quase não acreditou, teve a certeza de que o Senhor tinha escutado e respondido suas orações e assim, ela veio comigo para a Igreja, aceitou Jesus e mais tarde, o Pastor José do Nascimento nos batizou nas águas.
Eu e minha casa servimos ao Senhor daquele dia em diante. Estou totalmente liberto da macumba, pois de um diácono das trevas, hoje sou um diácono na Casa do Senhor; e a bebida alcoólica nunca mais entrou na minha boca, já são 22 anos de libertação para a Glória do Senhor.
Quero te dizer mais: Viva a morte!
Nós estamos tão acostumados a ligar a palavra morte apenas à ausência de vida e isso é um erro. Existem outros tipos de mortes e nós precisamos morrer todo dia. A morte nada mais é que uma passagem, uma transformação. Não existe planta sem a morte da semente, não existe o embrião sem a morte do óvulo e do espermatozóide, não existe a borboleta sem a morte da lagarta, isso é óbvio.

A morte nada mais é, que o ponto de partida para o início de algo novo. É a fronteira entre o passado e o futuro. Se você quer ser um bom universitário, mate dentro de você o secundarista aéreo e cheio de inúteis ilusões. Quer ser um bom profissional? Então, mate dentro de você o universitário descomprometido, que acha que a vida se resume em estudar para as provas. Quer ter um bom relacionamento? Então, mate dentro de você o jovem inseguro, ciumento e egoísta, que pensa poder fazer planos sozinho, sem ter que dividir espaços, projetos e tempo com mais ninguém.

Enfim, todo o processo de transformação, exige que matemos o nosso “eu” passado, totalmente inferior e espiritualmente desqualificado e reprovado. E qual o risco de não agirmos assim? O risco está em tentarmos ser duas pessoas ao mesmo tempo, perdendo o nosso foco, comprometendo completamente o nosso futuro.

Muitas pessoas não crescem, porque ficam se agarrando ao que eram e não se projetam para o que serão ou desejam ser. Elas querem uma nova etapa, sem abrir mão da forma errada como pensavam ou agiam. Acabam se transformando em projetos inacabados, adultos infantilizados. Podemos até agir, às vezes, como meninos, de tal forma que não podemos matar as virtudes das crianças, que são necessárias a nós adultos, como brincadeiras, sorriso fácil, vitalidade, criatividade, amor, perdão e etc.

Mas, se quisermos ser adultos vitoriosos, devemos necessariamente matar pensamentos infantis, para passarmos a pensar como adultos. Quer ser alguém marcante em nossa geração? como líder de visão e reconhecimento? profissional de sucesso? pai ou mãe honrados por seus grandes e belos testemunhos? cidadão e cidadã, amigo ou amiga, filho e filha melhor e cada mais vez mais lapidado? Morra para o mundo e ACEITE JESUS COMO SEU ÚNICO SALVADOR. ASSIM COMO ELE ME LIBERTOU DE TODOS OS MALES, LIBERTARÁ VOCÊ TAMBÉM. Essa é a morte que nos dá por completo a nossa vitória! Essa é a morte necessária para que possamos viver eternamente ao lado do Senhor Jesus!

Extraído do livro: Quando tudo diz que não ainda existe uma Esperança! do Pastor Marlon Anderson

Comentar
Categories: Testemunhos