Os Dez Mandamentos

As tábuas com os Dez Mandamentos – Ordenanças e Estatutos

 
  • Os Dez Mandamentos
    • Os Dez Mandamentos

    • Watch Video

Dois mil quatrocentos e quarenta e oito anos após a criação do mundo, os Céus estão prestes a se abrirem, e a palavra de Deus irá fluir como um rio de águas cristalinas.

Uma verdadeira sinfonia está para começar, sons, de fato um som palpável que não é apenas para ser ouvido. É o som da verdade – verdade que deve ser vista, ouvida, sentida, experimentada, vivida, permitida que venha a se enraizar no profundo da alma.

“ao amanhecer, houve trovões… e um sonido de buzina mui forte, de maneira que estremeceu todo o povo” Êxodo 19:16

Todo o povo está nos pés do Sinai para receber a verdade, o verbo de Deus – simbolizando que temos que receber a palavra de Deus neste mundo e levar a verdade recebida a toda criatura, nos quatro cantos da terra.

O número total dos mandamentos contidos no Antigo Testamento chega a 613. Revelando estes primeiros dez, de uma forma especial, Deus estaria sinalizando que são de aplicação universal, para toda a humanidade.

De fato, na Lei havia os מצוות mitzvot (mandamentos), חֻקִּים֙ chukim (ordenanças), e os מִּשְׁפָּטִים mishpatim (estatutos). Os Dez Mandamentos, como são mais conhecidos, na verdade na Torá são chamados em hebraico de דיברות dibrot (declarações ou palavras), podendo ser chamados também de As Dez Declarações.

A Midrash – o sentido simbólico – sugere que todos os 613 mitzvot, estão simbolicamente referenciados no texto que trata dos Dez Mandamentos. O número de letras no texto desta passagem é igual a 613 + 7 – representando, segundo a Midrash, o número total dos mandamentos da Lei, mais os sete dias da Criação do mundo.

as tábuas de pedra com os dez mandamentos

As Tábuas de Pedra com Os Dez Mandamentos.

Ouve ó Israel

É interessante notar que a Revelação da Lei de Deus, relatada em Êxodo 20:2 é iniciada com o texto “Eu sou [אָֽנֹכִ֖י֙ anoki] o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão.” Êxodo 20:2

As duas primeiras palavras do verso 2 “Eu sou” é אָֽנֹכִ֖י֙ anoki no original hebraico. A palavra אָֽנֹכִ֖י֙ anoki se inicia pela letra א alef. Esta letra, neste contexto é a representação do propósito da própria Revelação da Lei de Deus.

Alef א é possui a forma por uma haste diagonal, semelhante a uma contra-barra \ com dois yods, semelhantes a uma vírgula, uma na parte inferior da haste e outra na parte superior, em sentido invertido.

O yod superior simboliza Deus, o yod inferior simboliza o homem. A haste vertical simboliza a palavra, a Lei de Deus que conecta os dois yods, liga o homem a Deus.

Isto é, na primeira sentença, na primeira palavra, na primeira letra da Revelação, Deus mostra qual é o propósito da Sua Lei, que é resgatar o homem da separação, da queda que houve no jardim do Éden, e permitir sua a Religação com o seu criador.

Esta era a Lei, a Palavra, o Verbo vivo de Deus que descia do céu no Sinai:

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” João 1:1

Além de que, pelos princípios da gemátria (o hebraico é como os algarismos romanos, não há números, cada letra equivale a um número ou ideia de quantidade), alef equivale ao número 1, um.

Desde os tempos bíblicos há uma oração muito respeitada e recitada entre os judeus, retirada do livro de Deuteronômio, e que serve como fundação para a fé monoteísta, e que foi por nós herdada, pois o próprio Jesus a ratificou:

Shemá Yisrael YHWH Eloheinu YHWH Echad שְׁמַע יִשְׂרָאֵל יהוה אֱלֹהֵינוּ יהוה אֶחָד

“Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.” Deuteronômio 6:4

“E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.” Marcos 12:29

É preciso ter humildade para poder ouvir, pois somente o humilde de coração ouve e se deixa ensinar.

Assim, o verso dois do Êxodo 20 serve como uma introdução ao verso seguinte, pois Deus é um, e há somente um Deus, portanto “Não terás outros deuses diante de mim.” Êxodo 20:3

A Estrutura dos Dez Mandamentos

A estrutura em que os Dez Mandamentos estão organizados também traz em si mesma valiosas lições. De acordo com a Tradição Oral, Deus entregou a Moisés duas tábuas de pedra, cada uma contendo cinco dos Dez Mandamentos.

“E deu a Moisés (quando acabou de falar com ele no monte Sinai) as duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus.” Êxodo 31:18

Os mandamentos estavam organizados em colunas, e as duas tábuas de pedra formavam pares paralelos, como podemos ver na tabela abaixo:

As Tábuas de Pedra Contendo os Dez Mandamentos:
Primeira Coluna – Mandamentos Para com Deus: Segunda Coluna – Mandamentos Para com o Próximo:
Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Êxodo 20:2 Não matarás [retzach תִּֿרְצָֽ֖ח ] Êxodo 20:13
Não terás outros deuses diante de mim. Êxodo 20:3 Não adulterarás. Êxodo 20:14
Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão; porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão. Êxodo 20:7 Não furtarás. Êxodo 20:15
Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Êxodo 20:8 Não dirás falso testemunho contra o teu próximo. Êxodo 20:16
Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá. Êxodo 20:12 Não cobiçarás a casa do teu próximo Êxodo 20:17

A observação mais cuidadosa dessas colunas revelam padrões muito interessantes:

  • 1 – Os princípios encontrados na primeira coluna são mitzvot bein adam la’Makom (mandamentos em relação ao homem para com Deus), enquanto que as declarações da segunda coluna são mitzvot bein adam la’chaveiro (mandamentos entre o homem para com seu próximo).

E se observarmos bem, veremos que o mandamento “Honra a teu pai e a tua mãe” estão incluídos na coluna de Leis que regulam o relacionamento do homem para com Deus. Não deveria este mandamento estar localizado na segunda coluna, que rege as relações entre nós, humanos?

Incluindo “Honra a teu pai e a tua mãe”, entre os primeiros cinco mandamentos, Deus está declarando que nossos pais o representam neste mundo. Quando honramos nosso pai e nossa mãe, estamos honrando ao próprio Deus.

É fato, também, que no Êxodo 20:12, o termo “Honra” é כבוד kavod em hebraico. Kavod é uma palavra usada para descrever a glória de Deus. E o Senhor utiliza uma palavra que originalmente fazia referência à Sua glória para indicar o quão importante é honrar aos nossos pais.

“Honra – כבוד kavod – a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá.” Êxodo 20:12

  • 2 – Colocando as tábuas de pedra da Lei lado a lado, os Mandamentos ficam propositalmente alinhados em pares. Cada mandamento da primeira coluna forma um par com um outro da segunda tábua.

Esses pares de mandamentos estão tematicamente conectados, conforme a Midrash faz a seguinte análise:

  • . “Eu sou o Senhor teu Deus”, está paralelamente formando par com “Não assassinarás”. Todos fomos criados à imagem e semelhança de Deus. Cada vida humana é sagrada e tem um valor incalculável. Somos representantes do Senhor nesta terra. Se um indivíduo assassina o seu semelhante, está, de certa forma, diminuindo a presença de Deus neste mundo.

Embora o mandamento de Êxodo 20:13 seja traduzido e amplamente conhecido como “Não matarás”, a palavra utilizada no original hebraico é lo retzach לֹ֥֖א תִּֿרְצָֽ֖ח “não assassinarás”, se referindo ao crime odioso retirar a vida humana.

  • . “Não terás outros deuses diante de mim” forma par com “Não adulterarás”. Diversos textos bíblicos comparam o ato de idolatria como se fosse prostituição e adultério. Quem adora ídolos, trai o seu relacionamento com Deus. Idolatria é infidelidade na fé do único Deus vivo.

“E o SENHOR me disse: Vai outra vez, ama uma mulher, amada de seu amigo, contudo adúltera, como o SENHOR ama os filhos de Israel, embora eles olhem para outros deuses, e amem os bolos de uvas.” Oséias 3:1

  • . “Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão” forma par com “Não furtarás”. E quantas vezes nós falamos em nome de Deus, coisas que Deus nunca nos autorizou a dizer. Quantos assassinatos são cometidos “em nome de Deus”. Quantas guerras são travadas “em nome de Deus”.

Roubam, furtam o nome do Senhor, em vão. Usurpam falar em nome de Deus e causam sofrimento, discriminação, segregação e preconceito.

Há muita violência religiosa no mundo, supostamente “em nome de Deus”, por que o homem rouba para si algo que pertence somente ao nome santo do Senhor.

  • . “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar” forma par com “Não dirás falso testemunho”. O indivíduo que não reserva um espaço para Deus, um tempo para buscar o alimento espiritual, vive só do que é material.

Sem alimento espiritual o espírito morre, a carne passa a prevalecer sobre o espírito. E a mentira, o falso testemunho é uma das obras da carne. Somente buscando a Deus é que podemos nos firmar na verdade.

A verdade é a palavra de Deus. Assim o homem tem que reservar um tempo para buscar a Deus e ler, estudar e meditar na Sua palavra.

  • . “Honra a teu pai e a tua mãe” forma par com “Não cobiçarás a casa do teu próximo”. Uma criança que não honra seus pais, cresce sem limites, torna-se uma pessoa invejosa e percorre todo o caminho para começar a desejar o que é dos outros.

Muitos pregadores tem confundido os Dez Mandamentos com a Lei cerimonial – que usava sacrifícios que simbolizavam a morte e a remissão dos pecados por nosso Senhor Jesus Cristo.

Jesus é o fim da Lei cerimonial, não necessitamos mais de sacrifícios de animais para alcançarmos o perdão. Mas os Dez Mandamentos não perderam a sua validade, pois são a base moral, um guia para o comportamento humano.

E foram escritos em tábuas de pedra, são eternos. De fato Jesus disse:

“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.” João 14:21

Fonte: Rude Cruz, Estudos Bíblicos12 Agosto, 2014 Por Israel do Nascimento Silva

Comentar
Categories: Blog, Mensagens e estudos BíblicosTags: , , , , , ,